Logo Brangus da Poruína
x

A Fazenda

O projeto Brangus da Poruína se iniciou em 1997 nas Fazendas Poruínas localizadas no Sul de Goiás no município de Serranópolis GO (Cerrado Goiano).

Com objetivo de melhorar o desempenho da Pecuária (criação de gado de corte) nas fazendas, escolhemos a raça Brangus e assim se iniciou o projeto Brangus da Poruína.

Um pouco de história

O primeiro registro de um animal da raça Brangus vem de 1912 nos Estados Unidos. No início do século XX, os norte-americanos cruzaram a raça taurina britânica Aberdeen Angus (originária da Escócia, nos condados de Aberdeen e Angus) com a raça zebuína Brahman a princípio. Assim nasceu a nomenclatura Brangus.

A intenção dos pecuaristas estadunidenses era aliar a qualidade da carne, habilidade materna, precocidade e acabamento da carcaça da raça taurina com a rusticidade e resistência da raça zebuína. No Brasil, como a raça zebu predominante é o Nelore, a cruza é feita normalmente com este. Apesar de qualquer grau de sanguinidade ser intitulado Brangus, a proporção ideal adotada pela Associação Brasileira de Brangus é 5/8 Angus e 3/8 zebuíno.

A chegada no Brasil

Foi em Bagé, interior do Rio Grande do Sul, que nasceu o Brangus no Brasil. Na década de 70, a Embrapa Pecuária Sul iniciou o desenvolvimento da raça, que por sua cidade natal no país ganhou o nome Ibagé. Na tentativa de padronizar a criação, o nome Brangus Ibagé passou a ser adotado, substituído definitivamente para Brangus.

Originalmente denominada Associação Brasileira de Ibagé, a associação dos criadores da raça foi criada em 1979 para agregar criadores do Brangus. Em 1998, seguindo homologação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, passou a ter o nome atual, Associação Brasileira de Brangus.

A Safra

Safra de touros – 2014

Características

O cruzamento com raça zebuína atribuiu ao Brangus maior resistência a carrapatos e ao clima tropical, principalmente pelo encurtamento de seu pelo. Já pelo lado da raça taurina, o Brangus mantém as características da carcaça avantajada e a precocidade, podendo ser abatido com até 12 meses de idade no caso das novilhas e entre 14 e 18 meses no caso dos garrotes.

Quanto à carne, a qualidade fica por conta da cobertura e o entremeio da gordura ao músculo, o que ressalta o sabor e aumenta a maciez do alimento. O rendimento da carcaça de uma animal Brangus pode atingir 60%, sendo que destes, 40% é de carne da parte traseira, mais valorizada no mercado.

Outra condição que deu ao Brangus condições de se adaptar ao continente americano foram as mucosas e cascos escuros, que apresentam maior resistência ao calor.

Fonte: Wikipedia

Fazenda Poruína

Como está o tempo por aqui?

Connection Error

No any data received from Yahoo Weather.

Notícias & Eventos

Confira um pouco do nosso dia a dia da fazenda e exposições.

Set/20

Leilão Virtual Brangus da Poruina

Para maiores informações clique aqui

Jan/17

Nós da Brangus da Poruina

Desejamos a todos um ano novo repleto realizações.

Mai/17

Agrishow – Feira Internacional de Tecnologia Agrícola
Ribeirão Preto – SP

Out/16

Primavera – Acontece na Fazenda
Com  a  estação  das  flores, tem  inicio
a temporada de  monta e  nascimento dos
Bezerros.
Serranópolis – GO

Entre em contato

Ligue: (64) 3668-9303

BRANGUS DA PORUÍNA
Rodovia GO 184 – Km 25 à Esquerda 50 Km
Serranópolis – Goiás